tecnologia

Velocidade Máxima! Hackers no controle do seu carro

Há algum tempo fizemos um briefing sobre ataques cibernéticos que fogem dos alvos habituais como seu computador ou um servidor de uma empresa, por exemplo: indústrias, usinas nucleares e até mesmo hidrelétricas. Nessas últimas semanas uma notícia me chamou atenção: ataques que objetivam a obtenção do controle sobre a direção de carros. Visto o advento de protótipos de veículos autônomos como os carros da Google será esse um novo quesito que estará na revisão programada dos carros no futuro?

A notícia que me chamou a atenção foi essa: “De longe, hackers invadem e controlam carro com jornalista dentro”. Resumindo a reportagem, Charlie Miller e Chris Valasek conseguiram explorar uma vulnerabilidade do sistema de multimídia Uconnect Access de uma Cherokee. Esse sistema permite acesso à Internet e, por meio de uma brecha existente, sistemas como o de ar condicionado, a buzina (até aí, tudo bem), acelerador e freios(!) puderam ser acessados e controlados remotamente a quilômetros de distância. Abaixo um breve relato do sentimento do jornalista que estava dentro do veículo no momento do ataque:

(…) o momento mais desesperador foi quando eles cortaram o sistema de freios, enquanto o SUV se encaminhava para uma vala à beira da estrada, em baixa velocidade

Imagine as possibilidades de ataque? Como o seu carro sair por aí desgovernadamente em uma velocidade absurda (lembram do filme Velocidade Máxima?). Provavelmente essas possibilidades são muito mais perigosas do que um mal funcionamento de um airbag (motivo para recall de uma grande montadora aqui no Brasil). Ao mesmo tempo acompanhamos também o advento de protótipos de carros sem motoristas, o mais famoso deles: o carro da Google.  Esse carro é baseado em um computador central que, com ajuda de sensores, radares GPS com Google maps, acelerômetros, scanner de posição e câmeras, posiciona e guia o carro pelo caminho desejado. Um novo vetor de ataque?

Evidenciando o quanto esse assunto já é tratado seriamente em fevereiro de 2015, o FBI revelou por meio de um relatório sua preocupação com o risco de ataque de hackers aos controles dos carros. Agora em julho, o Congresso Americano recebeu um projeto de lei que exige que as empresas de carros inteligentes criem tecnologia à prova de invasão.

Uma coisa eu sei: minha preferência em relação aos carros com direção manual acaba de ficar ainda maior.

Abraços e até o próximo post.

Fontes:

http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2015/07/risco-de-ataque-hacker-controles-de-carros-assusta-os-eua.html

http://g1.globo.com/carros/noticia/2015/07/de-longe-hackers-invadem-e-controlam-carro-com-jornalista-dentro.html

Anúncios

Diga não ao aumento da conta de luz! Uso de tecnologias como fontes alternativas de energia

Está vindo por aí mais um aumento na conta de energia. Não… esse post não contém uma notícia desatualizada. É provável que ao ler esse artigo sua conta de luz estará ficando novamente mais cara. A conta neste momento (06/07/3015 às 20:29:30) já está mais de 70% mais cara do que em dezembro de 2014. Culpa apenas da falta de chuvas? Talvez não. O problema pode ser a pouca ou não utilização de novas tecnologias como fontes alternativas de energia.

Abaixo são citados alguns exemplos de geração de energia que fogem do padrão habitual e que, caso tenham um projeto de pesquisa e de implementação bem planejado, poderão significar alternativas melhores do que as atuais, trazendo benefícios não apenas para nossos bolsos, mas também para todo o planeta.

1) Ciclovias geradoras de energia
Em 2014 foi inaugurada na Holanda a primeira ciclovia solar do mundo. Apesar de seu alto custo de implementação e de sua pequena extensão (na época da reportagem, apenas 70 metros) ela foi capaz de gerar energia para três casas e um pouco também acabou sendo aproveitada na iluminação pública. A cidade de São Paulo poderia ter algo parecido? Pelo menos, ciclofaixas é que não faltam.

2) Geração de energia pelo movimento corporal
Uma notícia recente e que merece ser compartilhada. Dois estudantes brasileiros criaram um carregador de celular que acumula energia através da energia cinética gerada pelo movimento dos joelhos durante uma caminhada. Tecnologia semelhante já vem sendo empregada em várias partes do mundo em que ladrilhos especiais captam a energia cinética dos pedestres e também de automóveis transformando-a em energia elétrica.

3) Energia produzida pelo esgoto
Desde que bem empregado o esgoto não apenas deixará de poluir rios mas também pode servir como fonte de energia. Ainda em 2010 em Didcot, cidade do Reino Unido, 200 casas utilizavam energia do esgoto, produzido pelo metano, para manterem seu sistema de calefação.

Há outras inúmeras tecnologias que podiam ser utilizadas. Será que caso já estivessem devidamente implantadas, mesmo que em uma pequena escala, teríamos um aumento dessa magnitude em nossa contas?

Abraços e até o próximo post.

Fontes:

http://www.archdaily.com.br/br/758754/holanda-inaugura-a-primeira-ciclovia-solar-do-mundo-que-gera-energia-para-a-cidade

http://m.canaltech.com.br/noticia/gadgets/estudantes-brasileiros-criam-carregador-que-usa-energia-do-movimento-do-joelho-43187/

http://super.abril.com.br/tecnologia/uma-nova-geracao

http://tecnologia.terra.com.br/ladrilhos-captam-e-armazenam-energia-produzida-por-caminhada,6d68c172342ea310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html

http://www.ecycle.com.br/component/content/article/38-no-mundo/498-esgoto-vira-energia-em-cidade-do-reino-unido.html

http://economia.ig.com.br/financas/meubolso/2015-06-30/conta-de-luz-sobe-a-partir-de-sabado-em-sp.html

Elementar, meu caro Watson

Dias atrás, estava lendo um artigo na Internet sobre um levantamento apresentado pelo site de notícias norte-americano NPR, baseado em uma pesquisa da Universidade de Oxford das profissões que não serão substituídas no futuro por um robô (a minha, analista de sistemas, é uma delas.Oba!). Ah…mas isso vai demorar…estou garantido até lá! (pode pensar o leitor que não está na lista das profissões insubstituíveis). Será mesmo, meu caro leitor?

Há alguns anos atrás foi publicado o artigo: “A extinção do clínico geral”  aqui no Brainstorm de TI que falava sobre um computador da IBM que recentemente havia derrotado humanos em um famoso jogo de perguntas e respostas e que, na época, estava sendo preparado para ajudar hospitais no diagnóstico médico.

Pois bem, desde lá Watson já foi usado como um advogado virtual,  chef, investigador policial e até já foi eleito como a personalidade do ano. Uau! Ainda assim muitas dessas aplicações eram para auxiliar a tomada de decisão por seres humanos. A revolução realmente vai começar quando Watson puder ser pensando como alternativa para substituir o trabalho humano ou mesmo de todo um departamento. E ela começou em 2014, quando a IBM disponibilizou o acesso da API do supercomputador aos desenvolvedores.

Recentemente o Banco Bradesco anunciou que utilizará Watson para interagir com os clientes a partir do Telebanco. A utilização de Watson, conforme publicação no site da Exame, não significará, no entanto, a demissão dos atendentes. Watson seria combinado com o ser humano para um atendimento mais rápido, massivo e de qualidade.

Porém, qual será no futuro o reflexo de Watson no mercado de trabalho? Ora, é elementar, meu caro Watson!