profissional

4 comportamentos prejudiciais no ambiente de trabalho

Hoje vamos falar sobre 4 comportamentos prejudiciais no ambiente de trabalho, notadamente sobre aqueles comportamentos que prejudicam principalmente a ambientação de novos funcionários. Há estudos que indicam que profissionais da geração Y trocarão de emprego muitas vezes durante a vida, ou seja, se você ainda não se deparou no trabalho com essa situação é bom ler a respeito pois, provavelmente, pelo menos um deles você pode acabar vivenciando (ou sofrendo!).

  • Negligência de informações

Para um novo profissional ou mesmo em uma mudança de área dentro da mesma empresa, aprender sobre os processos e o negócio da sua nova área de atuação é um desafio a ser enfrentado no início. Como diminuir esse tempo de adaptação e conseguir um aprendizado mais rápido? Ler manuais e documentos, uma opção interessante, mas que pode ser demorada e não apresentar alguns detalhes que apenas a experiência do dia-a-dia pode proporcionar; treinamento é uma boa opção, mas nem sempre viável; uma opção mais viável e também aliada a uma visão prática do dia-a-dia é um bate-papo com os novos e experientes colegas da área. Uma ótima opção (mas infelizmente, nem sempre).  E porque não? A negligência de informações! Muitas vezes por medo e por falsos argumentos do tipo: “estou muito ocupado agora!” algumas pessoas não passam informações necessárias ou dificultam elas. Comportamento pouco profissional e trabalho em grupo inexistente.

  • “Gelo”

Um ponto importante no começo de um novo profissional é o seu entrosamento com seus novos colegas de trabalho. Seja por meio de conversas informais e de corredor, almoços e atividades fora do ambiente de trabalho, todos acabam contribuindo para que o profissional passe a sentir como parte da “turma”. O entrosamento (vida pessoal) acaba por facilitar as relações profissionais entre os colaboradores. Porém, nem sempre todos se mostram abertos a recepção do novo. Cara fechada, relacionamento direcionado para o estritamente profissional são utilizados por alguns e atrapalham a ambientação dos novos.

  • Não aceitar opiniões divergentes

Alguns dos pontos positivos para contratação de novos profissionais e justificativa do turnover são a promoção do espírito questionador e o surgimento de novas ideias e opiniões. Encaradas como boas para alguns, mas não todos. Alguns profissionais tendem a refutar novas opiniões e ideias por costume, medo da mudança ou mesmo para continuarem a ser reconhecidos como o “único” que conhece um determinado assunto. Comportamento individualista e que pode desencorajar o crescimento da equipe e da própria organização.

  • Questionamento da capacidade

Outro comportamento prejudicial: a desvalorização da capacidade do novo profissional. Algumas pessoas podem usar esse comportamento por medo de perderem os seus empregos, posição ou mesmo poder. Argumentos do tipo: “aqui não é bem assim”, “você realmente fazia isso na sua empresa?”, ou “você ainda tem muito que aprender aqui” são de comum utilização desses profissionais.

Esses comportamentos podem desestimular de alguma forma o novo colaborador. Mas antes de sair criticando a empresa ou se sentir injustiçado ou mesmo perseguido é importante entender que o profissional que age dessa maneira não representará a maneira de agir de toda a empresa. Perseverança e o trabalho bem feito do dia-a-dia aliados ao tempo, que é o senhor da razão, tendem a resolver a situação e mostrar aqueles que estão apenas preocupados com os resultados e o crescimento da organização.

Anúncios

Leis da simplicidade no dia-a-dia

simplicidade

Leis da simplicidade é o título de um livro de 2006 de John Maeda. Nele John aponta algumas leis com o objetivo de mostrar caminhos para que as pessoas pudessem simplificar as suas vidas. Abaixo trago uma interpretação de como essas leis poderiam ser aplicadas na vida profissional.

Reduzir. Procurar equilíbrio. Retirar o que for possível daquilo que não é necessário. Quais as atividades que não agregam valor no trabalho?

Organizar. Reunir em grupos tudo que é semelhante em termo de funções, características. Nomeia-los e deixar mais acessíveis os grupos que forem julgados como os mais importantes ou mais utilizados no dia-a-dia.

Tempo. Economize seu tempo e dos outros. Tenha sempre em mente que o seu tempo e o das pessoas ao seu redor é importante. Evite trocas de e-mail ou mesmo reuniões desnecessárias. O domínio do tempo é fundamental para compreensão das demais leis.

Conhecimento. Conhecimento agrega novas habilidades que podem tornam o trabalho mais simples e eficaz.

Complexidade. O simples e o complexo estão intimamente ligados. Tornar algo simples requer trabalho árduo.

Contexto. Devemos estar sempre atentos ao contexto que estamos inseridos. Conhecer os detalhes do ambiente de trabalho faz parte dessa atenção despendida.

Mais emoção é melhor do que menos. Coloque emoção no que você faz. Pessoas que amam o que fazem tendem a ser mais felizes e mais competentes.

Confie na simplicidade. Acredite no que você faz e na simplicidade de como você faz.

Fracasso. Aprenda com os erros. A simplicidade é complexa. Nem tudo poderá ser simplificado, portanto é importante manter a mente aberta a novas perspectivas.

Procure entender a essência das coisas. Entenda o valor agregado do que você faz, fuja do óbvio.

Abraços e até o próximo post.

Fonte:

http://www.academia.edu/1180858/As_Leis_da_Simplicidade_An%C3%A1lise_dos_portais_Jangadeiro_Online_e_O_Povo

Vida pessoal com os dias contados

Vocês devem estar acompanhando a emergente aprovação da PL 4330 denominada como PL da terceirização. Sua principal finalidade é alterar a regulamentação – em que apenas atividades-meio podiam sem terceirizadas – para que, agora, as atividades-fim também possam, ou seja, todas as atividades poderão ser terceirizadas inclusive as atividades consideradas como principais de uma empresa. Deixando de lado as implicações legais da lei, sejam elas positivas ou negativas, esse post procurará questionar a sua relação e impacto com a nossa vida pessoal.

A terceirização está relacionada a uma forma de trabalho que se caracteriza em utilizar os elementos de trabalho de forma que se possa trabalhar de casa, o denominado Home Office. Como a terceirização está relacionada ao Home Office? A sua relação se dá, particularmente, pois com a terceirização das atividades de uma empresa não há necessidade de que seus funcionários estejam dentro do ambiente de trabalho para a execução do trabalho, há a possibilidade de que, ao invés disso, sejam contratados profissionais terceiros de empresas especializadas que realizem e entreguem o trabalho. Onde o trabalho vai ser executado pode não ser mais uma preocupação, daí o aumento do Home Office.

O Home Office não é uma forma de trabalho nova, já na Idade Média o homem dividia seu lar com o espaço de trabalho, na produção de lã, sapatos, serviços de alfaiate, etc. Em 1980, Alvin Toffler já previa em seu livro “A terceira onda” que a tecnologia permitiria que as pessoas retornassem para o trabalho em casa. Só para ter uma ideia: em 2014, essa forma de trabalho aumentou cerca de 15% no Brasil. Relacionada a isso,  temos também o conceito de BYOD (Bring Your Own Device), que, como o nome sugere, é a utilização pelo profissional de seus equipamentos pessoais (celular, tablet, notebook) como meio de trabalho.

Então  trabalhar de casa é ruim? Não é, mas são necessários alguns cuidados. Trabalhar de casa pode trazer benefícios como: a diminuição da poluição (não há ou menor deslocamento para o trabalho),  menos trânsito e mais flexibilidade ao trabalhador. Porém, deve-se tomar cuidado para não misturar sua vida pessoal com a profissional. Ter o meio de trabalho em casa e utilizar seus próprios dispositivos pessoais para isso pode fazer com que: 1. Você misture a dedicação dos dois, não fazendo bem uma coisa e nem a outra ou mesmo 2. Que você dedique mais uma coisa, por exemplo, o trabalho, em detrimento de outra: sua vida pessoal.  Como um grande amigo, Marcelo Reston, me disse no começo de minha carreira: é preciso procurar o equilíbrio em todos os aspectos em sua vida: o pessoal, o profissional, o espiritual e o intelectual. Como conseguir isso? Apenas com o amadurecimento. Será que todos estarão preparados?

Fontes
http://jus.com.br/artigos/31268/muito-alem-da-revolucao
http://pt.wikipedia.org/wiki/Home_office
http://www.correiodeuberlandia.com.br/cidade-e-regiao/home-office-cresceu-15-nas-empresas-brasileiras-em-2014/
http://www.adnews.com.br/artigos/home-office-no-brasil-grande-desafio-para-as-corporacoes
http://imasters.com.br/gerencia-de-ti/tendencias/byod-e-consumerizacao-conheca-as-diferencas-e-as-semelhancas/