A diferença entre “ser” e “estar” gerente de projetos

 Boa noite caros leitores e seguidores! Depois de muitooooooooooooooooooooooooooooooooooo e muitooo tempo estamos de volta. Os compromissos assumidos e o MBA me afastaram do blog durante os últimos meses. Neste momento, porém, creio ser oportuno voltar para, com os Srs, compartilhar, explorar e aprender sobre assuntos de tecnologia e afins, neste blog que ajudei a fundar e que tanto gosto.

Bom… de diversos assuntos para a qual eu poderia escrever hoje, resolvi escolher algo relacionado ao tema gerência de projetos. Sim, este tema já pode estar bastante saturado para alguns. Porém a intenção neste post não é discutir conceitos e sim uma situação atualmente bastante comum e que está provocando certa dúvida, confusão e até mesma a frustração de alguns “gerentes de projetos”.

O que iremos discutir neste post são as diferenças entre “ser gerente de projetos” e o “estar gerente de projetos”.

O gerente de projetos pode ser definido como:  o profissional que aplica conhecimentos,  habilidades e técnicas às atividades do projeto a fim de alcançar os  seus objetivos estabelecidos.

O profissional que é um gerente de projetos ou que possui esse cargo lida com projetos  e…… projetos.  Projetos,  por sua vez, envolve N variáveis como: pessoas, habilidades interpessoais, experiência, conceitos e teorias aplicáveis. Apesar de árdua, a tarefa de um gerente de projetos é bem definida e é relacionada com os seus projetos ( que podem ser vários! Aliás, existe um limite ideal para número de projetos gerenciados de forma concorrente?! Bom, esse assunto podemos abordar em outro post!).  Sendo assim,  um gerente de projetos “puro” podem concentrar seu foco e tempo de forma bastante clara.

Por sua vez, temos também outro tipo de gerente de projetos: o “estar gerente de projetos”.  Este tipo de gerente de projetos pode possuir a mesma ou até mesmo mais competência em gerência de projetos do que o gerente de projetos “puro”.  Então qual seria a diferença entre eles? Basicamente a diferença está nos tipos de estruturas organizacionais em que eles atuam (Temos um post que relacionam estes dois assuntos e que vale a pena de ser lido para linkar com esse texto).

Em muitas das estruturas organizacionais , o profissional tem a gerência de projetos como mais um dos papéis que este assume durante o seu dia de . trabalho. Comumente um profissional  “estar gerente de projetos” possui também o papel de analista. Aliás também de,  por vezes, atuar como bombeiro  apagando incêndios ( resolvendo problemas).

O que tudo isso provoca? O profissional que “está como gerente de projetos” pode entrar em situações de dúvida e confronto. Que papel devo assumir nesse momento? é uma pergunta corriqueira em seu cotidiano.  Isto, evidentemente, prejudica seu desempenho e pode provocar frustrações ao “gerente de projetos”.

Soluções? Uma estrutura mais relacionada a projetos? Papéis diferentes para pessoas diferentes? Ou outras tanto quanto aplicáveis?

Qual a sua opinião? É uma situação normal e perfeitamente administrável? Você se sente confuso a assumir tantos papéis (múltiplas personalidades)? Você é ou está um gerente de projetos?

Muito obrigado.

Deixe sua opinião!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s