O Dilema do Prisioneiro

Hey pessoal! Eu sei que é quase ano novo, mas vamos falar um pouco de teoria dos jogos?

A teoria dos jogos é um ramo da matemática aplicada usado nas ciências sociais, com destaque para os campos da economia, biologia, engenharia, ciências políticas, relações internacionais, ciência da computação e filosofia (ou seja, em quase qualquer lugar que você quiser). Seu principal objetivo é compreender o comportamento de indivíduos envolvidos em situações estratégicas, ou jogos, nos quais o resultado das escolhas de um individuo depende das escolhas de outros indivíduos e encontrar equilíbrio nestes jogos.

O conceito de “equilíbrio” na teoria dos jogos é pouco convencional e não intuitivo: para obter uma situação de equilíbrio cada jogador do jogo deve adotar uma estratégia da qual dificilmente ele mudará de postura. Muitos conceitos de equilíbrio foram desenvolvidos num tentativa de capturar esta idéia: O Dilema do Prisioneiro é um destes conceitos e é um problema fundamental na teoria dos jogos que demonstra por que duas pessoas podem não cooperar mesmo se for do interesse de ambas fazer isto. Em outras palavras: é o problema que trata de colegas com segredos um dos outros que precisam escolher independentemente colaborar ou ambos perdem.

Um exemplo clássico deste problema é apresentado como segue:

Dois suspeitos são presos pela polícia. A polícia não tem evidências suficientes para uma condenação e, tendo separado os prisioneiros, visita cada um deles    para oferecer-lhes o mesmo acordo: se um deles testemunhar contra o outro  (desertar) e o outro permanecer em silencio (cooperar), o desertor sai livre e o     cúmplice silencioso recebe toda a sentença de 10 anos sozinho. Se os dois permanecerem em silencio, ambos serão sentenciados a somente seis meses de prisão     por um crime menor. Se os dois traírem um ao outro, ambos receberão uma sentença de 5 anos.

Cada prisioneiro deve escolher permanecer em silêncio ou trair o companheiro. A cada um deles é assegurado que o outro não vai ficar sabendo da traição antes   do fim da investigação.

A pergunta feita pela teoria dos jogos é: como os prisioneiros irão agir? Minha pergunta é: como você agiria nessa situação?

Nosso lado racional, ao analisar o problema, geralmente diz que o mais lógico seria permanecer em silêncio. Mas existem várias variáveis a se levar em conta num típico problema de teoria dos jogos: medo da traição, ambição, achar que é melhor perder 5 anos do que 10 (minimizar perdas ao invés de maximizar ganhos). Enfim, todo uma miríade de opções que influenciam o pensamento racional e que são alvo dos diversos estudos matemáticos desta área.

Se você já assistiu ao filme “Uma mente Brilhante” deve lembrar do pertubadamente genial (ou genialmente perturbado) economista Jhon Nash. Sua principal área de atuação e que lhe rendeu o Nobel foi justamente o ramo de Teoria dos Jogos.

Aproveitando o último post do ano, gostaria de dar o nosso muito obrigado pelas 15 mil visitas em 2010 e desejar a todos os nossos leitores e amigos um ótimo 2011. Que possamos continuar juntos neste ano que se inicia, caminhando por este grande brainstorm que é a vida!!

Deixe sua opinião!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s