Maioria dos adolescentes não está disposta a pagar por conteúdo online

Os resultados de uma pesquisa global realizada pela Haboo Hotel, comunidade virtual voltada ao público adolescente, revelam que mais da metade dos jovens de 11 a 18 anos não estão dispostos a pagar por conteúdo na internet. Segundo o estudo, realizado com 50 mil internautas dessa faixa etária, 32% desses usuários não pagam pelo que acessam, e 26% pagariam somente se não houvesse nenhuma opção grátis disponível.

Os internautas brasileiros foram os que mais responderam ao questionário. No país, os adolescentes estão menos propensos a gastar com conteúdo na internet que a média mundial: 40% nunca pagam pelo que acessam e 24% só quando não há alternativas. Na Itália e na Espanha, os números são ainda mais alarmantes, pois 48% dos adolescentes nunca usaram seu dinheiro para comprar conteúdo. No Reino Unido, por outro lado, o mesmo índice cai para 21%.

O levantamento também concluiu que a troca de arquivos não é uma prioridade para a Geração Z (aqueles que já nasceram inseridos no mundo digital). Apenas 23% disseram compartilhar, regularmente, música, vídeo, texto ou imagem, enquanto que 39% raramente o fazem. Do conteúdo partilhado, o tipo de mídia que mais se destaca é a música, já que 54% dos usuários costumam compartilhá-la.

Quanto à segurança, aproximadamente 55% dos entrevistados afirmaram que se sentem seguros em qualquer ambiente online e 19% dizem não ter tanta confiança assim. Cerca de 20% dos adolescentes disseram que aprenderam sobre comportamento seguro na internet com a família, enquanto 30% indicaram a escola como principal conselheira.

Opinião do autor: As empresas tem que entender que os consumidores não pagam mais pelo conteúdo. Há muito tempo. Consumidores pagam pela experiência. Há musica de graça nas rádios e no YouTube, colocadas lá legalmente. Isso sem falar da facilidade trazida por sites de torrent ou compartilhamento de arquivos. Não há por que pagar por conteúdo online a não ser que este seja mais fácil e mais prazeroso de consumir do que sua versão gratuita.

Há diversos estudos que tentam entender o por que do sucesso das lojas online da Apple, por exemplo. A explicação é simples: É mais fácil e rápido achar uma música na loja online da Apple do que ficar procurando um torrent que pode não ter seeds o suficiente, ter vírus ou arquivos incompletos. Os usuários pagam pela comodidade oferecida pela Apple e pela certeza de que vão ter a música certa sem problemas.

Outro fator relevante é: muitos dos usuários não pagariam pelo conteúdo mesmo sem alternativas (não importa o que as pesquisas dizem). As empresas tem condições de calcular qual a venda esperada de músicas para garantir seu lucro. O único problema é que a ganância sempre fala mais alto e elas tentam controlar todos os meios de distribuição de conteúdo digital existe. A boa notícia é que, se nem a URSS conseguia controlar todos os canais de comunicação (isso por que nem existia a internet ainda) quanto mais as gravadoras.

Elas deveriam se preocupar um pouco com a imagem que o público tem delas, as gravadoras. Processando usuários que baixam músicas, perseguindo a comunidade online e subindo os preços de CD’s, DVD’s e conteúdo digital elas só colaboram pra aumentar o ódio direcionado a elas mesmas. O que leva usuários a protestar colaborando com a pirataria.

E por fim: os músicos ainda precisam das gravadoras? É um fato bem divulgado que a maior parte da renda deles vêm dos shows, eventos onde as gravadoras não são necessárias. E eventos como o sucesso de Justin Bieber, surgindo do nada a partir do YouTube tendem a ser uma tendência cada vez maior, elimando também a necessidade de intermediários como as gravadoras.

One comment

  1. Exatamente. A propria Apple disponibiliza musicas, apps e afins gratuitos em sua loja virtual. Isso tambem ajuda na divulgação do produto de muitos, tal como acontece com os seriados. Muitos deles disponibilizam os pilotos (alguns ate 1 capitulo de cada temporada) para divulgar o trabalho.

    As operadoras tem que aprender a ganhar com publicidade em seus produtos, tal como acontece nos seriados, onde as empresas pagam para ter seus produtos expostos neste. Tal metodo ja é utilizado em muitos videoclipes. Exemplo disso, é o novo hit do Eminem “Not Afraid”, onde a Nike aparece explicitamente.

    See ya!

    Gostar

Deixe sua opinião!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s