As competências necessárias para um analista de sistemas – Parte 2

Meus amigos,

Continuo aqui a falar sobre as competências necessárias  para um analista de sistemas, descrevendo cada uma destas:

Negócio: o analista de sistemas deve conhecer o negócio envolvido em seu trabalho. Se o analista trabalha em um banco, ele deve conhecer termos e conceitos relacionados a uma instituição bancária, se o analista trabalha em um hospital, as especialidades envolvidas, o perfil dos pacientes atendidos, e assim sucessivamente para outros tipos de empresas/corporações.  Foi se o tempo em que a preocupação em termos de negócio era insignificante perante a tecnologia.

Gerenciamento de projetos: outra competência fundamental para um analista de sistemas é seu conhecimento em gerenciamento de projetos. A complexidade dos sistemas,o time to market, entre outros fatores, fazem com que os projetos sejam cada vez mais complexos. Para lidar com esta complexidade é fundamental que o analista aplique os seus conhecimentos de gerenciamento de projetos, só assim a taxa de projetos terminados no prazo, dentro do custo e do escopo e com a qualidade requerida terá um valor aceitável.

Técnicas: basicamente dividido em duas competências: de análise de sistemas e conhecimento sobre a  tecnologia envolvida. Veremos cada uma delas a seguir:

Análise de Sistemas: é bem lógico que um analista de sistemas deva conhecer conceitos sobre análise de sistemas. Esta competência proporcionará ao profissional a habilidade em traduzir requisitos de negócio em requisitos técnicos, visão sistêmica,  prover soluções ótimas para atendimento do pedido, determinar testes a serem realizados para garantia da qualidade, apenas citando as principais.

Domínio sobre a tecnologia envolvida: por último, não menos importante porém algo cada vez mais esquecido pelos analistas de sistemas da “nova geração”. O analista de sistemas deve ter um conhecimento pelo menos básico da tecnologia que está envolvida em seu trabalho e este conhecimento representa, na maioria das vezes, um fator importante na sua atividade. Imaginemos um sistema cujos programas sejam feitos em uma linguagem COBOL, não seria justo cobrar que o analista seja expert nesta linguagem, porém o mesmo deve ter um conhecimento básico desta tecnologia. E como isto seria importante? Caso em um projeto de manutenção deste sistema o programador insira alguma outra lógica no programa, por algum motivo, que não tinha a ver com escopo do projeto o analista, através de seu conhecimento na tecnologia, poderia impedir que algo incorreto fosse promovido no ambiente produtivo juntamente com a alteração requisitada pelo solicitante do projeto.

One comment

Deixe sua opinião!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s