A “Profissionalização” dos Profissionais de TI

O tema-base, deste artigo, é muito amplo e bastante polêmico. Ao mesmo tempo em que a complexidade de produtos e serviços cresce com o avanço da tecnologia e um grau maior de especialização em informática é exigido, constata-se (ainda) que boa parte dos profissionais da área de TI não possui uma formação acadêmica – teórica e prática – adequada aos ofícios da profissão. Os motivos são os mais variados possíveis – não vou me ater a este tópico por considerar que não é o foco neste contexto.

Ao longo dos anos, muitos profissionais que hoje atuam no mercado, moldaram a sua formação através do exercício prático da profissão. Entretanto, esta realidade está mudando. E mudando rapidamente. ” Profissionalizar” os profissionais da área de TI é a palavra de ordem da hora. O motivo é que as empresas começaram a perceber que falhas, nos atuais sistemas, podem representar danos à imagem e perdas financeiras irreparáveis no âmbito global. Neste sentido, não há mais espaço para “amadores”. Não estou, com isso, afirmando que estes profissionais não tenham (ou possam ter) um ótimo nível de desempenho, nem tão pouco que não exerçam suas atividades com grande excelência. O problema com o método empírico de aprendizado é que “vícios” são introduzidos e tornam-se, ao longo dos anos, verdades absolutas e também não há uma cobertura ampla e formal de todos os fundamentos, mínimos e necessários, ao exercício da profissão. Portanto, ao contratar neste cenário, as organizações exigirão maior qualidade na formação desses profissionais.

Por outro lado, a grande explosão de novas tecnologias tem forçado a absorção contínua – cada vez mais – de novas informações e novos conhecimentos. O volume de informações tornou-se tão grande que, para dominá-lo, fez-se necessário a divisão e formação específicas de profissionais especialistas nestas áreas.

No centro desse furacão encontramos a figura do analista de sistemas de informação. Eu diria que este profissional hoje deve ter uma visão sistêmica ampla dos negócios e conhecimentos da gestão em TI, assim como habilidades para interferir em algumas questões técnicas. Saber conduzir atividades de terceiros é uma atribuição cada vez mais desejável, além de uma forte capacidade na gestão de projetos.

 Além de possuir conhecimentos técnicos, conhecimentos dos negócios da empresa e habilidades interpessoais, os atuais profissionais de TI devem, também, possuir conhecimentos em áreas consideradas de apoio, como por exemplo, administração, matemática financeira, gestão de projetos, contabilidade, estatística, entre outras. Acho essencial para esse profissional, ter boas noções sobre estes fundamentos para exercer com mais qualidade as suas funções.

 Há um consenso no mercado sobre a necessidade do analista de sistemas ser receptivo às mudanças, nunca parar de estudar e sempre procurar estar atualizado diante das novas tendências e tecnologias do mercado. Eu estou de acordo com esta posição. Gostaria de acrescentar que uma questão central que devemos responder é: “Como se manter atualizado?”. Diariamente somos bombardeados com as mais diversas informações, de outras áreas inclusive (que podem auxiliar ou não nos nossos objetivos e nas estratégias da empresa). Ter o discernimento para identificar e separar as informações que são realmente úteis para nós é uma habilidade que deve ser considerada. Isso vale também para os cursos que fazemos e para os blogs que costumamos ler. 🙂

5 comments

  1. Hello,
    Bom dia/Boa Tarde/Boa noite

    Gostei muito do artigo ”A “Profissionalização” dos Profissionais de TI”, sou um jovem buscando capacitacao profissional na area de TI, que é bem ampla, mas com poucsos profissionais capacitados, digo isso pelo que pesquisei.Gostaria de receber um conselho de voces em que area seria bom eu comecar e onde me capacitar (qual Instiuição, ex.) e assim, depois eu escolher uma area onde me especializar.

    Moro em Sao Goncalo,
    bairro vizinho de outro que ja pertence a Niteroi, morando assim perto deste.

    Espero ancioso e confiante sei que receberei conselhos de gente profissional
    Que me serao muito úteis =D

    PS.:Errei muito no portugues ? ^^

    Gostar

    1. Olá Antonio André!

      Seu português é muito bom. Você não fala português nativamente?

      Bom, como vc mesmo disse, a área de TI é bastante extensa. Além disso, conta com intersecções em diversas outras áreas.

      O meu conselho para você (e talvez outras pessoas tenham conselhos diferentes, o que é bom) é primeiro saber do que você gosta. Hardware, software, gerenciamento, programação… Para isso você tem que ler bastante reportagens e revistas da área. Fazer alguns cursos e, dependendo da idade, conseguir um estágio de alguma empresa de TI, o que vai te dar uma boa visão geral das coisas.

      Assim, conforme seu conhecimento for aumentando você saberá aonde quer chegar!

      Gostar

    2. Inicialmente, gostaríamos de agradecer a sua participação e dizer que, a equipe do blog ‘Brainstorm de TI’, trabalha sempre muito duro para, a cada 10 dias, compartilhar uma visão inovadora sobre os últimos acontecimentos no mundo da tecnologia com os seus leitores. Ficamos muito felizes com o seu comentário.

      Apesar de trabalharmos juntos, cada colaborador do blog compartilha a sua opinião particular. Por isso, os conselhos podem não ser os mesmos (o que na nossa opinião é bom, pois ampliará a sua visão sobre o assunto).

      Gostaria de dividir a minha resposta em duas partes. A primeira com relação à capacitação, e a segunda com relação à área de atuação.

      Não existe uma receita de bolo milagrosa para desempenhar bem uma profissão. As orientações que vou dar são até, decepcionantemente, simples. Simples, mais ignoradas pela maioria dos profissionais.

      1. Sempre escolha as instituições de ensino consideradas “de ponta” na sua cidade ou região. O fato de fazer uma ótima universidade, não irá lhe garantir sucesso no mercado de trabalho. Mas, colocará você em contato com bons profissionais que conseguirão passar, não só conteúdo técnico, mas visão e experiência de mercado. Caberá a você fazer a segunda parte desse processo: entender com clareza os fundamentos da área e treinar as habilidades gerenciais necessárias, que a profissão exige.

      2. Cada região tem as suas necessidades em particular. A especialização feita em São Paulo, pode não ser a mais adequada para desempenhar suas atividades em Salvador (pois, como falei, as necessidades de mercado são diferentes, e a área de tecnologia é muito ampla). Em uma fase inicial, invista conhecimento nos fundamentos da ciência da computação (como um clínico geral, que sabe de tudo um pouco). À medida que avançar nesses estudos, ganhará visão suficiente para saber em que segmento atuar. Ou até mesmo, perceber que existe uma lacuna não explorada de serviços e produtos que necessita de investimentos na sua região.

      Estamos sempre à disposição para contribuir com nossos leitores.

      Atenciosamente,
      Marcelo Reston

      Gostar

Deixe sua opinião!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s